Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
21

Resenha #37: Jogador N°1 - Ernest Cline

Lido em: Outubro de 2014
Título: Jogador N°1
Autor: Ernest Cline
Editora: LeYa Brasil
Gênero: Ficção
Ano: 2012
Páginas: 464


Adicione esse livro ao Skoob.


Avaliação:



Resenha


2044. O mundo encontra-se em uma grave e alarmante crise energética. O meio mais simples de adquirir energia é fazendo uso de painéis solares ou com a força mecânica. O caos se instalou em todo o globo e qualquer objeto de valor é ainda mais cobiçado por ladrões. A cada dia o índice de desemprego aumenta e a fome se alastra com uma rapidez sem precedentes. Para tentar aliviar um pouco a frustração de viver em um planeta assim, Halliday (também conhecido como Anorak) constrói um videogame de realidade virtual chamado OASIS. Inicialmente, o jogo era apenas uma diversão entre amigos, mas acabou crescendo e se tornou parte da vida da maioria (e por que não dizer todos?) dos seres humanos da Terra. No OASIS você pode ser quem ou o que quiser: um humano, elfo, vampiro, troll... Você pode estudar, se formar, casar, viajar, fazer amigos, ter relações sexuais; tudo que você teria na vida real, porém com uma única diferença: tudo seria de forma virtual, com outra pessoa que estivesse conectada ao jogo via internet. 

Estava tudo tranquilo, mas algo acontece para abalar as estruturas: o criador do game morre. E, como não possuía herdeiros, decide fazer uma caça ao tesouro: aquele que primeiro encontrar as três chaves (Cobre, Jade e Cristal) e passar pelos três portões será o dono de toda a sua fortuna, além de ter o comando do OASIS. Milhares de "caça-ovo" seguem as pistas deixadas por Halliday em busca da primeira chave. É aí que conhecemos Wade Watts, o personagem principal que iremos acompanhar nessa corrida maluca ao poder.

Senti medo durante toda a minha vida. Até eu saber que estava terminando. Foi quando eu percebi que, por mais assustadora e dolorosa que a realidade possa ser, é também o único lugar onde se pode encontrar a realidade de verdade. Porque a realidade é real. Entendeu?


reparem no #fail (maldito reflexo)

Em seu livro de estreia, Esnest Cline nos apresenta sua escrita leve e indutiva, que faz com que nós, leitores, devoremos as páginas sem nem nos darmos conta. A narrativa é fluida e instigante, acrescentando sempre fatos novos, que torna o enredo cada vez mais consistente e lógico.

Durante todo o enredo percebemos as fortes referências aos anos 80 (século em que Halliday cresceu e usou como tema para sua caça ao tesouro), que vão desde filmes/séries e jogos até bandas e livros. Há uma crítica severa àqueles que, nos dias de hoje, decidem se afastar da sociedade para passar cada vez mais tempo isolados perante um computador ou semelhante tecnológico. Ao finalizar a leitura, fiquei me perguntando: "por que demorei tanto para achar esse livro? Ele foi lançado aqui no Brasil em 2012, poxa!". Eis então a resposta: embora seja um livro muito bem avaliado, ele é pouco difundido em nosso território. Uma pena, já que em suas 464 altamente bem escritas encontramos um conteúdo inovador e que não deixa pontas soltas.

O que acontece depois da morte? Bem, não sabemos ao certo. Mas as evidências sugerem que não acontece nada. Você morre, seu cérebro para de funcionar e você some e deixa de fazer perguntas irritantes. Sabe as histórias que já escutou? Sobre ir para um lugar maravilhoso chamado 'céu', onde não há mais dor nem morte e você vive em um estado perpétuo de felicidade? Isso também é bobagem. Assim como toda a história sobre Deus. Não há provas de que o céu existe, e nunca houve. Inventamos isso também. Só uma quimera. Então agora você tem de viver pelo resto de sua vida sabendo que vai morrer um dia e desaparecer para sempre. Sinto muito.



O final, embora "previsível", acaba sendo alcançado de uma forma que nenhum leitor poderia imaginar. A aventura é altamente envolvente e nos prende com enorme facilidade. 

O exemplar é muito melhor do que eu achava que seria. O material usado na capa é de perfeita qualidade, bem como as folhas amareladas que fazem com que o leitor não se canse durante a viagem feita dentro do "OASIS" e todo o seu mundo futurista.


21 comentários:

  1. Oi Sérgio.
    Ah mais um que entra pro time de admiradores de Jogador Nº1.
    Eu também fiquei me perguntando porque demorei tanto pra ler esse livro, lembro que considerei ele a minha melhor leitura do ano.
    Mesmo tendo um final previsível, o desenvolvimento e todas as referências citadas juntamente com a escrita envolvente do autor deram o diferencial no livro.
    Com certeza todos deveriam ler.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  2. \o/ Amo esse livro!!!
    Vivi minha infância e início da adolescência na década de 80 e pirei durante a leitura =D
    Quando acabei de ler, queria convencer o mundo inteiro a fazer o mesmo rsrsrs...
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  3. Olhando a capa, este não seria um livro que eu compraria, mas sua resenha me deu vontade de lê-lo.

    http://inquietudessecretas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    Já vi umas duas resenhas sobre esse livro e sempre fico com mais vontade de ler. Há algum tempo coloquei na minha lista de livros para comprar.
    Sou uma dessas pessoas que adora a os anos 80 e grande parte da sua cultura; assim como toda a demanda de tecnologia que temos nos dias atuais. É interessante ver obras que tratam desse assunto.

    Blog:
    Cantar Em Verso . Fbook Cantar em Verso
    Pessoal:
    Fbook . silvianecasemiro@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Sérgio, tudo bem?
    Há um tempo atrás eu li outra resenha desse livro e, assim como a sua, era toda elogios.
    Desde então o livro se encontra na minha lista de desejados, só preciso comprar.
    Sem dúvida deve ser uma boa opção para escapar dos romances YA e NA que tenho lido tão frequentemente.

    P.S.: Não li o livro, mas acho que a capa não favorece muito... se investisse em uma nova edição (com uma capa mais chamativa), talvez o livro circulasse mais, né?!

    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Amanda
    http://minhasconfissoesfemininas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ola Sérgio a premissa do livro dessa vez não me chamou atenção, fico feliz que tenha gostado bastante da leitura mas vou deixar passar dessa vez.abraços

    Joyce
    www;livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  7. Que bom que você gostou, cara, não falei que era bom?
    Agora é torcer para o filme! haha
    Abraços ;)
    armadaescrita.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá

    Este livro está na minha lista de desejados, acho que desde seu lançamento e eu ainda não me mexi pra comprar e ler. Ainda vou esperar mais um pouco pra poder conhecer a narrativa do autor, mas tudo o que mencionou na resenha desde à crítica ao Phubbing (Bauman lindo) até as referências aos anos 80 só aguçam mais minha curiosidade.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  9. Oi,

    Li uma resenha do livro algum tempo atrás, e confesso que não tinha ficado tão interessada, como fiquei agora lendo a sua resenha, tanto é que já fui lá no Skoob adicionar Jogador N°1 a lista de desejados rsrs
    Sua resenha está instigante, e apesar de não ter vivido na década de 80, acredito que vou gostar das referências :D
    E sabe, eu gosto dessa capa, e eu tbm não sabia que tinha sido lançado em 2012 u.u Jurava que era um livro lançado recentemente rsrs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi,
    Não me lembro se já li alguma resenha deste livro, mas fiquei bem interessado. Adoro livros ambientados num futuro próximo e com o caos imperando. Nesse caso, devido a crise energética e tal. Gostei muito da ideia de mesmo morto, o criador do game instruir as pessoas a procurarem as três dicas e se tornarem donos dessa herança.
    Eu adoro estas histórias com referências ao passado e certamente leria este livro. Sua linda resenha me convenceu! Já foi pra listinha :3

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. ´Se serio isso gente?! Eu já vi esse livro em promoção umas mil vezes e nunca tinha me interessado.. Mas porque diabos eu sempre julgo pela capa?!
    Adorei o enredo, e apesar de ser da década de 90, acho que vou reconhecer várias das referencias citadas no livro. Já adicionei o Skoob e pretendo adquiri assim que possível. Obrigado pela dica <3

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  12. Oi. Eu conheci esse através de uns blogs que falaram super bem dele, mas não cheguei a ler. Eu vi ele de promoção tem um tempo e me arrependo de não ter comprado. Sua resenha me despertou ainda mais e uma pena que ele não é tão conhecido.

    Beijos
    Leitora sempre

    ResponderExcluir
  13. Que bom que apesar do final ser previsível o forma com que ele é alcançado surpreende. Amo que o livro tenha tantas referências dos anos 1980, e amo também que exista essa crítica à dependência tecnológica. Saber que a narrativa é fluida e instigante só me fez querer ler mais, e o melhor é que já tenho meu exemplar aqui, meu único obstáculo é o tempo pra fazer isso... :/

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  14. Olá Sérgio

    Cara, eu sou um gamer assumido e assim, adoro tudo que é relacionado a este tema. Tenho muita vontade de ler esse livro, mas são tantos na minha lista de leitura que ele vai ficando para trás. Acho que seria meio que um choque de realidade, pois cada vez mais dependo da tecnologia. Seria uma leitura instigante.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oie!

    Achei bem interessante como o autor trabalhou os elementos propostos... Acredito que esse é uma das possibilidades que poderão acontecer em um futuro bem próximo... O lance do jogo me lembrou The Sims - nunca joguei, mas imagino como seja. Mas o mais triste é saber que os jogadores precisam de um jogo para simular como seria o dia-a-dia de uma vida 'normal', já que a realidade em que vivem parece ser um completo caos. Também gostei do desafio proposto para a escolha de um herdeiro; acredito que é nesse momento em que o personagem ultrapassou seus limites e superou as expectativas. Não conhecia com detalhes essa obra, mas adorei a resenha; ou seja, anotei a dica e vou procurar mais sobre o livro! Gosto bastante de livros desse gênero.

    Beijos,
    Cássia
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  16. Oi Sergio, tudo bem?
    Eu quero, eu quero!!!!!!!!
    Nossa, esse livro é um achado. Essa é a segunda resenha que leio dele e concordo com você, não falam muito sobre ele. Adoro caçadas, jogos, competições e tenho certeza que ele quis dar uma lição nessas pessoas que iriam participar. Sabe, acho muito importante discutirmos essa questão das pessoas estarem se isolando do convívio social, se escondendo atrás do computador, é muito sério e as consequências não são boas. Acho que as escolas e os pais deveriam se atentar mais a isso.
    Sua resenha me deixou com muita vontade de ler, já está na lsita de desejos.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Interessante é pouco ne? Pq tipo, distopia é com certeza minha praia e vontade de querer ler é pouco não vou. SÉRGIO, NO INICIO DE 2015 VOCÊ VAI ME EMPRESTAR! QUERO LER D:

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi Sérgio,
    Eu já tinha esse livro em mãos, mas não consegui concluir a leitura, muito embora seja adoradora das coisas dos anos 80!
    Acho que as referências de bandas e tudo o mais dão um toque bem nostálgico, delicioso!
    Fico contente que você tenha gostado, quem sabe em um dia em que eu precisar de uma leitura diferente eu não compre?!
    Beijos
    Chrys Audi

    ResponderExcluir
  19. Eu já tinha visto esse livro por ai, mas nunca me interessei muito, sabe? Ele não faz muito o gênero que eu gosto, mas eu gostei, acredito que deve ter uma história bem bacana nesse livro e essas referências devem ser bem bacanas, acho incrível quando um livro traz algumas ooo/ Enfim, se eu tiver oportunidade irei ler esse livro, pois a sua resenha me convenceu de que ele deve ser bom mesmo oo/

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Ahhh que saudades desse meu livro. Meu irmão pegou emprestado e até hoje não o vi de novo. Uma amiga minha que recomendou o livro, parece ser mesmo muito bom. Várias referencias legais. Adorei a sua resenha.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  21. Olá, sério mesmo que esse livro tem essa trama envolvente? :/ Olhando para a capa não da nem para imaginar!
    Bem, apesar do final ser "previsível" percebo que você gostou da leitura. E isso me deixou intrigado; Há um tempo atrás li um livro que quando chegou na metade, eu já sabia como seria o final. Foi decepcionante. Creio eu, que o "Jogador n1" tenho uma forma mais intrigante de envolver o previsível.
    Goste. Parabéns pela resenha.

    Beijooos!
    Vivendo em Livros

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!