Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Resenha #347: O Livro das Listas - Renato Russo

Título: O livro das lista
Autor: Renato Russo
Org.: Sofia Mariutti & Tarso de Melo
Editora:  Companhia das Letras
Edição: 1
ISBN: 9788535929744
Gênero: Almanaques, Lista de referencias
Ano: 2017
Página: 192

Adquira seu exemplar aqui!

Avaliação: 




Resenha


Referências musicais, culturais e sentimentais


Renato Russo foi um dos principais símbolos da década de 1980. O cantor que nasceu como Renato Manfredini Júnior em 1960 foi o fundador da banda de rock Legião Urbana, responsável por sucessos atemporais como "Que país é esse?", "Tempo perdido", "Eduoardo e Mônica" e tantos outros. Infelizmente a carreira do cantor foi tristemente interrompida aos 36 devido as complicações advindas da AIDS. 

0

Resenha #346: Pequenos Reparos – Omar Salomão

PEQUENOS_REPAROS_1499275003692291SK1499275004B

Título: Pequenos Reparos
Autor: Omar Salomão
Editora:  José Olympio
Edição: 1 
ISBN: 978-85-03-01317-8
Gênero: Poesia brasileira
Ano: 2017 
Página: 128
Adquira seu exemplar aqui! 

Avaliação: 







Resenha

Em seu novo lançamento Pequenos Reparos, Omar Salomão, conduz o leitor por uma nova poética, e o faz enxergar as sutilezas do dia a dia. O livro é composto por poemas que se relacionam a manuscritos, fragmentos, desenhos e fotografias.
IMG_8012
Com delicadeza o autor entrelaça os pequenos reparos que o faz ser quem é, fala sobre o processor artístico, o caminhar, o esquecer, desejo, mar e amar. Concreto e mar tem presença marcante nas poesias de Salomão, remetendo ao período que o autor morou no Rio de Janeiro, e depois se mudou para São Paulo.

Omar destrinchou a palavra, pois ainda tinha pendente um ofício de reparar: como se alguém precisasse de remendo, de restauro, seus versos são também consertos, voltas. O desejo de reconstruir o que foi atingido por estragos passados.
IMG_8021

IMG_8016
Seus poemas têm como característica retratar as delicadezas do dia a dia, mas sem deixar de lado as durezas e sujeiras da vida. Suas poesias iniciam sempre com letra minúscula, e quase não possuem pontuação, proporcionando  leitura rápida e direta.

A edição da José Olympio está simples e bela, combinando com o conceito do livro. Em papel off-white, que destaca as poesias, fotos e ilustrações. A folha de guarda do livro é repleta de poemas e ilustrações do autor.

Omar Salomão é poeta e filho, do também poeta e letrista, da geração beat Waly Salomão. Pequenos Reparos é seu terceiro livro sendo o primeiro À Deriva (2005) e Impreciso (2011) o segundo, ambos publicados pela Dantes Editora.

“olhos de gato
olhos de ressaca
observo de perto seus olhos:
precipício” Pag:96

0

Novo livro de Oscar Nakasato sairá pela Tordesilhas



O premiado autor Oscar Nakasato, que recebeu o Jabuti de 2012 de melhor romance com "Nihonjin", lança seu mais novo livro intitulado "Dois" pela editora Tordesilhas. O livro traz em seu enredo uma história de drama familiar mesclados com a escrita sensível de Nakasato. A narrativa fica por conta de dois irmãos já idosos com enfoque em pontos da vida defamília.


Capa do novo livro

Dois, de Oscar Nakasato


Zé Paulo é conservador e metódico; Zé Eduardo é irrequieto e instável; são irmãos, mas jamais se sentiram assim. Enquanto a narrativa coloquial do primeiro revela preconceitos e julgamentos, a do segundo se caracteriza pelas reflexões de uma pessoa que já não se reconhece na própria família. Zé Paulo vive em Maringá, onde se casa e tem três filhos. Zé Eduardo parte para São Paulo, onde luta contra a ditadura, é perseguido e acaba exilado. Quando retorna ao Brasil, procura o irmão, mas a aproximação é impossível. Na leitura deste romance, Oscar Nakasato nos leva com a sensibilidade de sua escrita a vivenciar as alegrias e dores das relações familiares.

Dois é uma história dramática que mergulha fundo nos segredos que aproximam e separam uma família. Seus personagens são marcantes e despertam no leitor uma sensação de “ame ou odeie”, sem que seja possível sentir qualquer dessas coisas por completo. Zé Paulo é, ao mesmo tempo, egoísta e um homem de família; Zé Eduardo é, ao mesmo tempo, compreensivo e imaturo. É impossível que o leitor escolha um lado, não há vilões ou mocinhos, apenas dois irmãos que não se reconhecem na própria família.

Você pode conferir um trecho aqui: Dois

0

Mária Valéria Rezende vence o Prêmio São Paulo de Literatura


O romance "Outros Cantos" (Alfaguara), de Maria Valéria Rezende foi anunciado na noite de segunda-feira (6), como o vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura. A autora santista que mora na capital paraibana João Pessoa nasceu em 1942 e ganhou o prêmio Jabuti de 2015 na categoria romance com o livro "Quarenta Dias".

Com esse resultado, a autora recebe R$ 200 mil e participará da Feira Internacional do Livro de Guadalajara.

O baiano Franklin Carvalho ganhou na categoria autor estreante com mais de 40 anos com o livro "Céu e Terra" (Record). Já o campineiro Maurício de Almeida levou na categoria autor estreante com até 40 anos com a obra  "A instrução da noite" (Rocco). Ambos recebem R$ 100 mil e também participarão da Feira de Guadalajara. 

Inspirado em prêmios como o britânico Man Booker Prize, o Prêmio São Paulo de literatura é promovido pelo Governo do Estado de São Paulo.


Confira mais um pouco sobre os prêmiados: 


Outros Cantos, de Maria Valéria Rezende

Numa travessia de ônibus pela noite, Maria, uma mulher que dedicou a vida à educação de base, entrelaça passado e presente para recompor uma longa jornada que nem mesmo a distância do tempo pode romper. Em uma escrita fluida, conhecemos personagens cativantes de diversos lugares do mundo e memórias que desfiam uma série de impossíveis amores, dos quais Maria guarda lembranças escondidas numa “caixinha dos patuás posta em sossego lá no fundo do baú”. 

Com sutileza e domínio da narrativa, Maria Valéria Rezende vai compondo um retrato emocionante dessa mulher determinada, que sacrifica a própria vida em troca de algo maior. Outros cantos é um romance magistral, sobre as viagens movidas a sonhos.




Céus e Terra, de Franklin Carvalho

Com uma linguagem colorida, lírica e densa, Céus e terra conta a história de três mortes ocorridas em 1974: um cigano, um menino e um lavrador. O menino, chamado Galego, filho de família muito humilde, é decapitado por acidente logo no início da obra, quando então descobrimos que é esse pequeno defunto o narrador de toda a história. Sem piedade pela própria morte e sem sofrimento algum, o fantasma mirim acompanha a vida da cidade: o restaurante que se inaugura no velho casarão, o movimento da barbearia e da farmácia, a morte dos habitantes, os casamentos, a chegada e partida do circo. Nesta trama conduzida com leveza e agilidade, acompanhamos a trajetória do menino sem cabeça que vai se tornando um mito dentro da cidade e um sábio dentro dele mesmo, como se a morte pudesse, de fato, conter a chave de todos os mistérios.



A Instrução Da Noite, de Maurício de Almeida

Depois de anos desaparecido, um pai volta para casa, provocando, além de surpresa, uma avalanche de sentimentos contraditórios nos membros da família. Vencedor do Prêmio SESC de Literatura por Beijando dentes, Maurício de Almeida costura com grande habilidade o drama psicológico vivenciado por cada um dos personagens de seu intrincado novelo familiar em A instrução da noite, sua estreia na Rocco. Dialogando com a literatura de Osman Lins e Raduan Nassar, o autor cria belas metáforas para falar de situações e sentimentos como perdas, traição, frustração, solidão, medo e abandono, e dos traumas que cada um carrega, muitas vezes por uma vida inteira, e que influenciam sobremaneira as escolhas que fazemos ao longo dessa mesma vida.