Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Resenha #286: Filhos da América - Nélida Piñon

Título: Filhos da América
Autor: Nélida Piñon
Editora: Record
Edição: 1
ISBN: 978-85-01-08770-6
Gênero: Ensaios
Ano: 2016
Páginas: 400
Adquira seu exemplar aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação: 





RESENHA


'Filhos da América' é uma coletânea de ensaios da escritora brasileira Nélida Piñon. Alguns tratam de sua biografia literária, da gênese de alguns de seus livros (“Guia-mapa de Gabriel Arcanjo”, “Vozes do deserto”, “República dos sonhos”,) A maioria de seus textos são reflexões sobre a literatura, e grandes escritores da America latina, Nélida passeia pela língua portuguesa, e tenta decifrar os mitos fundadores da literatura brasileira. 
Há textos belos e emocionados que falam sobre escritores e amigos como Clarice Lispector, Carmem Barcells, Raquel de Queiroz, Marília Pêra. E claro, Machado de Assis, uma presença marcante neste livro. São pelo menos quatro textos onde se fala do mestre, e seu papel na literatura. 
“É da literatura sorver os erros humanos e dar-lhe um outro uso. O que é a narrativa senão um amontoado de equívocos com os quais encenamos a realidade.” Pag.18
Nélida é descendente de imigrantes do continente Ibero-Americano, seus genes e antepassados marcam presença no livro. Ela narra sua visita a Santiago da Compostela, e como voltar ao lar de seus antepassados influenciou sua vida e sua escrita. A autora reflete também sobre o Brasil, sua cultura e suas faces.
“Vida e ficção são uma equação insolúvel. Imperfeitas, ambas complementam. Isoladas entre si, não se salvam. E a despeito do esforço conjugado, juntas, elas não decifram o mistério humano.” Pag. 45
A edição está caprichada, com uma capa que representa toda a diversidade dos ensaios. O livro foi impresso em papel off-white,e a fonte de tamanho ideal, com bom espaçamento. A edição não identifica a origem dos textos, mas é possível identificar a origem de alguns, como um discurso que a autora fez no centenário de falecimento de Machado de Assis na ABL, assim com ao aceitar um prêmio em uma universidade gaúcha.
Nélida estreou em 1961 com o romance  Guia-mapa de Gabriel Arcanjo. Foi empossada como imortal pela Academia Brasileira de Letras e, em 1996, tornou-se a primeira mulher a presidi - lá. Em 2012, foi nomeada Embajadora Iberoamericana de la Cultura. 

Resenhado por:
Elidiane Galdino

0

Resenha #285: A Garota do Cemitério - Charlaine Harris, Chistopher Golden & Don Kramer

Título:  A Garota do Cemitério
Autores: Charlaine Harris, Chistopher Golden & Don Kramer
Tradução: Heloísa Lea
Editora: Valentina
Edição: 1
ISBN: 978-85-5889-035-9
Gênero: HQ - Ficção
Ano: 2017
Páginas: 128

Adquira seu exemplar aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação: 



RESENHA


A Garota do Cemitério é a estréia da Editora Valentina no universo dos quadrinhos. Aqui, temos a união de três artistas que resultou num bom trabalho. A primeira é a escritora Charlaine Harris (famosa pelos livros que deram origem ao seriado True Blond) que escreveu o roteiro da histórias junto com Chistopher Golden e por fim temos Don Kramer, responsável pela arte.
Essa HQ será uma trilogia chamada Os Impostores, sendo A Garota do Cemitério o primeiro volume. Aqui, conhecemos uma jovem que foi abandonada ferida no cemitério para morrer. Ela não lembra quem é e muito menos de onde veio. Está completamente perdida, mas precisa buscar formas de descobrir seu passado e respostas para saber quem quer o seu mal.

Passeando nos túmulos do cemitério, ela se dá o nome de Calexa, inspirada numa lápide. Assim, ela faz daquele local o seu lar, roubando coisas do zelador do lugar e de alguns moradores da região. Até que um dia ela presencia um estranho ritual de invocação, que envole assassinato. A alma que sai do corpo, acaba invadindo Calexa que se enche de memorias que não são dela e como se não bastasse os seus problemas, novos e de outra pessoa, aparecem para perturbá-la ainda mais. Caberá a jovem decidir sair das sombras (e do rastro de seus malfeitores) e ajudar ao espirito que clama por justiça. 
Essa grafic novel é de leitura super rápida e em uma sentada acabamos com a leitura. Temos um mistério envolvendo a personagem principal que pouco é revelado; a protagonista não lembra de nada e pouco recursos possui para procurar saber quem ela é. No entanto, esse novo mistério envolvendo o espirito acaba provocando um desvio, e assim, o leitor acaba sem saber o que realmente aconteceu no passado da Calexa. 

Os desenhos feitos pelo Kramer são bem escuros com traços fortes, eles conseguem transmitir essa áurea mais dark do cemitério e envolver o leitor nas noites escuras dentro de um local tido como assombrado. Esse traço lembra muito os quadrinhos de super-heróis, se dando, talvez, por sua experiência na DC.
No geral, gostei bastante de ter lido essa obra. Não sou muito fã de série, gosto das coisas resolvidas em um único volume, no entanto, creio que trabalhar com desenhos dê mais trabalho. Por isso a escolha dos autores por ser ser trilogia. 

Sobre a obra, a Valentina caprichou mais uma vez. Temos os desenhos impressos em papel couché matte 150g (similar ao de fotografia) que é mais recomendável para esse tipo de impressão e a capa ficou muito bonita também. Não encontrei nenhum erro no texto. 

Até logo, 
Pedro Silva





0

Resenha #284: Royale Com Queijo - Mariza Gualano



Título: Royale Com Queijo
Autor: Mariza Gualano
Editora: Valentina
Edição: 1
ISBN: 978-85-65859-58-5
Gênero: Não-Ficção / Gastronomia / Cinema
Ano: 2015
Páginas: 240

Adquira seu exemplar aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação: 



RESENHA


Royale Com Queijo, publicado pela editora Valentina, traz um copilado de frases sobre gastronomia retiradas de mais de 600 filmes do cinema mundial com uma variedade de gêneros e épocas, selecionados pela autora carioca Mariza Gualano.
Dentro da culinária temos uma gama infinita de sabores e sensações e nessa obra encontramos de tudo um pouco, como os saborosos chocolates da Fantástica Fabrica de Chocolates (1971), as panquecas em Imitação da Vida (1959), uísque em Os infratores e o veganismo em Um Anjo em Minha Mesa (1990). São tantos pratos os deliciosos e conversas que chegam a deixar a boca cheia d'água.

O divertido dessa obra é que realmente ao lermos as frases do cinema, vamos ficando com fome e com vontade de experimentar cada sensação descrita nas cenas e isso é um sentimento tão frustante por não termos os pratos em casa que acabamos anotando as resenhas para tentar repetir.. Por outro lado, conseguimos nos colocar na pele de alguns personagens que falam de comidas que já provamos e esse sentimento é bem compreensível.
Os filmes estão todos organizados no final do livro e podemos assim maratonar, se quisermos, aqueles que ainda não assistimos. A autora ainda se preocupou em colocar uma lista em branco, para o leitor preencher com frases que não estão na obra, mas que são de sua preferência.
Apesar de ter uma edição maravilhosa da editora Valentina, com capa semidura e folha de guarda preta, o livro é apenas um copilado de frases trazendo, em algumas, a descrição do contexto da frase e a ficha técnica da obra. No inicio ainda temos uma bem pequena introdução do Joaquim Oristell.

No geral é um livro para curiosos ou amantes do cinema que gostam de colecionar coisas relacionadas ao tema e que com certeza vai preencher aquele espaço dedicado à sétima arte da sua estante.

Você já leu essa obra? O que achou?

Até mais,
Pedro Silva

0

Resenha #283: Princesa das Águas - Paula Pimenta

Título: Princesa das Águas
Autor: Paula Pimenta
Série: Princesas Modernas #3
Editora: Galera Record
Edição: 1
ISBN: 9788501075727 
Gênero: Jovem Adulto
Ano: 2016
Páginas: 368
Adquira seu exemplar aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação: 



RESENHA



Paula Pimenta é brasileira, de Belo Horizonte, e ficou bastante conhecida pelas séries “Fazendo Meu Filme” e “Minha Vida Fora de Série”, agora a mineira faz sucesso com sua nova série “Princesas Modernas” onde o foco são as releituras de diversos contos de fadas adaptados para o mundo atual. 
“A Princesa das Águas” é o terceiro livro dessa série e vem nos recontar o famoso conto da Pequena Sereia. Nesse caso, conhecemos Arielle, uma jovem que perdeu sua mãe assim que nasceu, ela é uma nadadora super premiada e prestes a ir para as Olimpíada. Sua vida se resume a escola e treinos e, apesar de amar o esporte, Arielle, conhecida como A Princesa das Águas, é um pouco infeliz por não poder levar uma vida normal como qualquer outra adolescente de 16 anos. 

Sufocada pela rigidez de seu pai e do seu técnico, além do contínuo julgamento da imprensa, ela se revolta durante uma viagem para Suíça, onde ela foi competir mais uma vez, e foge para uma festa de confraternização dos atletas que estavam no torneio. É durante essa celebração que ela conhece e se apaixona por Erico, um tenista suíço bastante premiado, mas, é durante a mesma festa que ele sofre um acidente e é salvo por Arielle. Logo que a ambulância chega ela foge do local e deixa Erico aos cuidados dos médicos e com a vaga lembrança da garota que o salvou e cantou pra ele.
É bem difícil resumir a história com poucas palavras, o livro é cheio de acontecimentos e tem uma premissa bem diferente de outros que eu já li. 
Os personagens são todos muito fofos e, desde o primeiro segundo é impossível não torcer para que Erico e Arielle fiquem juntos, mas, claro que tem que ter alguém pra atrapalhar e a vilã desse livro foi, particularmente, Insuportável. Sula é uma atleta do nado sincronizado que vai fazer de tudo para destruir qualquer coisa entre Erico e Arielle e por várias vezes eu quis entrar no livro só pra bater na cara dela.

Como sempre, a escrita da Paula é maravilhosa, é impossível largar o livro (perdi uma noite de sono por causa dela). A escrita é fácil, fluida e apaixonante, você só consegue largar o livro quando ele acaba e, mesmo assim, fica com aquele gostinho de quero mais, coisa que também aconteceu quando eu li outros livros da autora.

A Editora Gutemberg fez uma edição muito linda e que combina com as dos outros livros da série, deixando eles muito fofinhos juntos. Além disso, a revisão e a diagramação interna são impecáveis. Só podemos torcer que a Paula não demore muito para lançar mais um livro para a série.

Resenhado por:
Maria Clara Donato