Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
8

Resenha #69: Serial Killers: Made In Brazil - Ilana Casoy

Lido em: Março de 2015
Autora: Ilana Casoy
Gênero: Policial/ Crimes Reais/ Psicologia
Edição: 1 
Editora: DarkSide® Books 
ISBN: 9788566636291
Ano: 2014
Páginas: 360

Adicione esse livro ao Skoob

Avaliação:     




Resenha


Como bem o título sugere, Serial Killers Made In Brazil vai tratar de assassinos em série com foco nos brasileiros. Ilana Casoy nos apresenta em ordem cronológica sete assassinos em série. Começando na década de 20 com Febrônio Índio do Brasil e fechando o livro nos dias mais atuais com o Pedrinho Matador.

O livro é extremamente bem escrito e cumpre com a promessa a que veio, nos passando a frieza desses seres e seu modo de agir, cada qual do seu jeito e seguindo um padrão. A riqueza de detalhes é algo que impressiona, já que é narrado os crimes com descrições bem completas, mesmo que nos primeiros casos nem nascida a autora era.

Esses assassinos sempre seguem um padrão criminoso, chamado modus operandi, como uma marca registrada do criminoso e são divididos em duas classe:

Os organizados: Que planejam seus crimes e fazem de tudo para não deixar rastros de que foi ele o culpado do crime, sendo até deixado de lado caso haja investigação.

Os desorganizados: Aqueles que agem mais pelo calor do momento, que realizam as atrocidades sem pensar ou se preocupar com os seus vestígios.


Serial Killers: Made In Brazil é um livro para poucos, com uma narrativa ágil, a autora enriquece o livro com detalhes descritos de uma forma descomunal, fazendo-nos sentir agonia, mal-estar, ansiá de vomito, nojo e todo tipo de aversão aos crimes que ela relata, nos colocando  na pele das vítimas que passaram pelas mãos desses homens de comportamento desumano.

Mas não só de narrativa (prosa) o livro é composto, como é o caso d'O Vampiro de Niterói, responsável e confesso do abuso sexual seguido de estupro (ou vise-versa) de treze crianças entre os 5 aos 13 anos de idade. E ele relata, em depoimento à Ilana Casoy e outro estudiosos, da área da psicologia, a forma que agia, descrevendo cada um dos meninos que ele matou de uma forma tão fria que chega a gelar a alma de quem ler.

Esse livro é um verdadeiro exemplo de que o mal existe sim, sendo muitas vezes uma influencia do meio social sobre o individuo, que muitas vezes veem de famílias carentes e que sofreram algum tipo de transtorno na infância. A autora também põe em questão a influencia da mídia no caso de Pedrinho Matador, que na infância era privado pela mãe religiosa de assistir TV, levando a crer que esse lado maldoso já feio intrínseco em sua nascença aguçado em busca de vingança.


Se você tem estomago para o assunto e principalmente muita curiosidade, Serial Killers Made In Brazil é uma ótima pedida. O livro está com uma diagramação excelente e nas maioria das paginas encontramos ilustrações, arquivos, fotografias que vão solidando os relatos, além disso, as folhas são amareladas e a capa possui um material aveludado dando um charme maior no trabalho gráfico.

PS.: Não sei se isso ocorreu apenas comigo, no entanto, ao decorrer da leitura era necessário uma pausa para me recuperar dos enjoos causados pelos fortes detalhes, e depois de um certo tempo, o cheiro desse livro passou a me causar mal-estar me fazendo ligá-lo a morte ou algo ruim.

Att,
Pedro S.

8 comentários:

  1. Estou louca para ler esse livro, esse seu momento de parar para se recuperar já me ocorreu em leituras de outros livros semelhantes a esse, é horrível.
    Gostei da resenha.

    Visite: http://carpediemmica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pedro!
    Esse é um tema que eu amo de verdade. Foi o que me fez entrar para a Turma do Fundão da Mundo Estranho em 2013: meu interesse por serial killers e coisas mórbidas no geral. Tenho grandes expectativas sobre o livro - e sobre a coleção desse tema, no geral.
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando

    ResponderExcluir
  3. Cara eu acho interessante esse tipo de leitura, mas não sei se tenho estomago pra isso.
    certa vez escutei um podcast sobre o assunto e fiquei horrorizada, por isso acho que não leria pq livros nessa temática mais forte costumam me deixar muito abalada.
    pelo menos foi uma boa leitura pra vc ^^
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  4. Olá Pedro, o livro parece ser bem interessante por ser fatos reais mostrado como você mesmo disse que o mal existe sim, mesmo sendo uma leitura bem forte ainda tenho bastante vontade de lê-lo.

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  5. Nunca leria esse livro. Não tenho nem curiosidade, nem muito menos estômago pra uma coisa dessas. Saber que pessoas desse tipo existem já me faz mal o suficiente, definitivamente não quero ler sobre detalhes e não faço a menor questão de entrar nessas mentes doentias. Passo a leitura com certeza.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  6. Oi, Pedro!
    Que grande coincidência você ter resenhado esse livro; recentemente adquiri ele para realizar um trabalho da faculdade, no qual devemos falar sobre mentes criminosas.
    Acho que não é, realmente, uma leitura que seja indicada para todo mundo. Eu, particularmente, não tenho muito estômago para esse tipo de coisa, e folhando o livro já tive que pular alguns detalhes que foram simplesmente demais para mim, rs.
    Achei essa edição e diagramação linda também, a editora está de parabéns!

    Beijos, Letícia Lançanova
    Palácio de Livros

    ResponderExcluir
  7. Olá, Pedro!

    Esse livro nunca me chamou a atenção, e além do mais, os livros da DarkSide são muito caros. Porém, deve ser uma leitura incrível para quem gosta do assunto ou para escritores que estejam procurando personalidades psicoticas como inspiração.
    Abraços

    www.estantejovem.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eiii, ele fala de pessoas reais! Meu pai, ele não é um livro pra mim.. Como você disse, não é qualquer um que conseguirá completar essa leitura. Mas uma coisa não da para negar, a parte gráfica está impecável. A Dark Side está caprichando nesse quesito.

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!