Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
12

Resenha #31: Quem, Eu? - Fernando Aguzzoli

Lido em: Setembro de 2014
Título: Quem, Eu?
Autor: Fernando Aguzzoli
Editora: Belas-Letras
Gênero: Não Ficcional
Ano: 2014
Páginas: 240

Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação:    


Resenha


Tomei conhecimento de alguns detalhes da história de Nilva Aguzzoli e seu neto através de matérias exibidas nas grandes mídias nacionais, e logo que soube da existência de uma página no Facebook voltada exclusivamente para postagem de momentos de interação entre os dois, além, é claro, de servir como suporte para outras famílias que se encontravam com o mesmo problema - o Alzheimer -, logo tomei a iniciativa de procurar a fã page e curti-la, para ficar sempre informado do que andava acontecendo na vida deles (na questão do progresso da doença e em como eles estava lidando com a situação) e para rir das peripécias que os dois andavam aprontando juntos!

Aos poucos, vendo os vídeos e fotos com mais frequência, fiquei cada vez mais apaixonado pela história de vida da e dedicação com que Fernando cuidava dela. Ao saber que os momentos juntos não ficariam apenas nas redes sociais, mas que se eternizariam na forma de um livro, fiquei extremamente feliz e decidi que iria comprar meu exemplar - o que não foi preciso, já que a Editora Belas-Letras, parceira do nosso blog, nos enviou um volume físico dessa bela e emocionante obra!

"[...] uma vida não é medida por coisas boas ou ruins que fazemos, mas por quantas pessoas atingimos e quantas multiplicam essas atitudes."


Bem, o livro começa falando um pouco sobre a trajetória de Nilva Aguzzoli no decorrer dos anos, começando, é claro, no seu nascimento. Ficamos a par de algumas histórias relevantes de sua vida que servem para entendermos alguns dos diálogos entre ela e seu neto mais adiante. Sempre com bastante humor - até nas horas mais sofríveis -, o "amorzinho da vó" levanta diversos questionamentos interessantes, tais como a falta de compaixão com o próximo - que muitas vezes acontece dentro da própria família - e em como lidar com uma questão tão delicada: um idoso com problemas mentais, mais especificamente com a doença de Alzheimer.  

Percebemos durante todo o enredo o amor incondicional que um sente pelo o outro. Durante toda a existência de Fernando, sua avó desempenhou um papel de segunda mãe para ele, sempre ativa em sua vida. Com o passar dos anos e a aparição dos sintomas da doença, ele decide então retribuir todo o cuidado, carinho e afeto que um dia a vó Nilva depositou nele. Largando então a universidade e os projetos de abertura de uma empresa, Fernando resolve se dedicar inteiramente aos cuidados que sua avó necessita, invertendo os papéis e agora passando a ser seu "pai".


"Nossa essência consiste em permitir que pessoas embarquem e desembarquem da nossa vida enquanto seguimos um determinado caminho. Alguns descem antes e outros ficam até o final da viagem, mas o nosso erro está em supervalorizar esses momentos de partida, e não a viagem em si."


Devo admitir que em muitos momentos tive que me segurar e tentar não deixar que os sentimentos falassem mais alto. Existem inúmeras passagens que, quando nos colocamos no lugar da família do autor, torna-se impossível não se emocionar. Saber que uma das pessoas que você mais ama no mundo em breve se esquecerá do seu nome, da sua fisionomia e de tudo aquilo que vocês passaram juntos é bem triste.

Porém, nas 240 páginas bem trabalhadas e escritas do exemplar, a única coisa que percebemos é amor e dedicação. Nem mesmo uma doença tão cruel pôde abalar uma relação tão sublime e verdadeira. 

Indo além de uma história de uma avó e um neto, "Quem, Eu?" é um ensinamento sobre sentimentos verdadeiros e compaixão para com o próximo. Com muita certeza, um livro que levarei em minha memória por toda a vida e que me fez enxergar com outros olhos uma doença tão séria e que, infelizmente, não possui cura.

"Alzheimer é muito mais que resgate da memória passada e perda da memória recente. Em uma sucinta explicação, ela caracteriza-se como uma doença crônica, progressiva e incurável que afeta a cognição do portador. Aqueles processos básicos que todos temos como automáticos (atenção, memória, julgamento moral, linguagem, criatividade, inteligência, capacidade motora...) sofrem interferência e depreciação, vítimas da doença."



12 comentários:

  1. "Nem mesmo uma doença tão cruel pôde abalar uma relação tão sublime e verdadeira." Hello, Sérgio! Achei muito interessante essa resenha, já assisti á uma matéria sobre o Fernando e sua avó no programa da Fátima Bernardes e me emocionei, e pelo que você falou do livro, é uma emoção mais forte que os leitores desse livro estarão sujeitos a passar.

    http://gabryelfellipeealgo.blogspot.com.br/

    PS: Não sei se posso, mas essa realidade de Fernando e sua avó não lembra a ficção de Peeta e Katniss? Se em Jogos Vorazes já foi forte, imagina no seu livro resenhado!!!

    ResponderExcluir
  2. Aaaah, essa vovó é muito amor! Quando descobri a página, perdi horas e horas lendo as histórias. Mas ela já tinha morrido, e eu fiquei toda triste quando descobri.
    O Fernando foi um neto maravilhoso, uma inspiração pra todos aqueles que convivem com pessoas com Alzheimer, aliás, pra todos nós. Seu amor e dedicação são lindos de se ver.
    Normalmente não gosto de livros de não ficção, mas este está na minha lista de desejados.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivo.com

    ResponderExcluir
  3. Sergio, eu comecei a ler esse livro, mas acho que era a hora errada, a leitura não fluiu para mim. Mas depois de ler sua resenha a vontade de ler surgiu com tudo, e vou tentar fazer isso logo. Acho o Alzheimer a doença mais cruel, deve doer demais mesmo saber que a pessoa logo se esquecerá de muitas coisas que viveu e até dos nomes de pessoas importantes para ela. Que bom que o Fernando resolveu dividir essa história, e que o amor e a dedicação são coisas tão marcantes nela!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  4. Oi Sérgio.
    Que lindo, isso é que é amor, Fernando realmente se dedicou a essa vó abrindo mão dos seus planos pra cuidar dela nessa fase tão difícil, e também aproveitar enquanto não é totalmente esquecido....triste isso, Alzeimer é uma doença impiedosa.
    Já me emocionei com sua resenha, fico só imaginando como será com o livro.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  5. Oiii,

    eu acompanhei o lançamento, e vi vaaarias matéria sobre o livro, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Achei uma forma muito interessante a abordade do Fernando com o tema e fico feliz que tenha gostado.

    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  6. Olá

    Eu não conhecia o livro e acredito que esta seja a primeira resenha que leio do mesmo. Achei muito interessante tudo o que pode acontecer na narrativa e, principalmente por saber que é uma história que aconteceu. Gostei da foto que tirou lendo o livro, dá pra ver algumas coisinhas bem interessantes do formato da narrativa, pra falar a verdade fiquei bem curioso com isso também. Fiquei curioso com a história desta vó e deste neto e como eles lidam com essa doença.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  7. Que livro lindo!
    Assim que comecei a ler me veio na cabeça a minha avó. Elas cuidam tão bem a gente que chega uma hora que temos que retribuir. Esse neto foi muito bondoso com a avó. Provou que ama mesmo ela.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!!
    Gente, esse livro deve ser emocionante!
    Assim como você, tomei conhecimento da história do Fernando e da avó através das redes sociais e, acredito que na época a dona Nilva já havia falecido. Impossível não se sensibilizar com a história desses dois e o amor incondicional demonstrado por esse neto.
    Sem dúvia esse livro pode ensinar muitas coisas, né?! A olharmos um pouco mais além de nosso próprio umbigo, por exemplo...

    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Amanda
    http://minhasconfissoesfemininas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ola Sérgio conheci esse livro em um outro Blog e me tocou de uma forma linda , afinal hoje em dia os netos não estão ligando muito para os avós infelizmente as prioridades deles são outras, lindo o gesto do neto ao cuidar da avó. Estou correndo para comprar e ler. abraços

    ResponderExcluir
  10. Oláá
    Estou louca para ler esse livro, também recebi através da parceria com a Belas Letras, e espero lê-lo em breve.
    Também tive o primeiro contato através das mídias, e achei a história de neto e da avó é mega emocionante.
    Parabéns pela resenha!
    Beijos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ahh Sergio, que história linda!
    As vezes nós ficamos emocionados com tantas histórias fictícias, que perdemos a oportunidade de nós emocionar com histórias reais como essa. Onde o amor, a dedicação, a família.. tudo foi vivido pelo autor. Com certeza é um livro que eu me emocionaria de mais lendo!
    Não conheço a fanpage, mas vi que a avó já faleceu.. acho que eu ficaria extremamente triste ao acompanha-la agora..
    A morte é um troço tão injusto gente =/

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  12. Que linda. amei
    Nunca tinha ouvido falar mas está sendo amor a primeira leitora;
    Obrigado por me apresentar o livro

    segui o seu blog

    http://www.isadoramonteiro.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!