Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
21

Resenha #22: Perdão, Leonard Peacock - Matthew Quick

Lido em: Julho de 2014
Título: Perdão, Leonard Peacock
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573954
Gênero: Romance
Ano: 2013
Páginas: 224

Confira aqui a sinopse do livro.


Avaliação: 





Resenha


"Ser diferente é bom. Ser diferente é difícil. Acredite em mim, eu sei." - pág 105

Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Era suposto ser um dia feliz, não acham? E seria, se ele não tivesse a vida que tem. Estando em um estado aparente de depressão (e problemas psicológicos que vão bem mais além), o jovem Leonard decide que, como um auto-presente, ele se matará nessa data (dia em que ele completa 18 anos) usando a P38 que um dia fora do seu avô, e levará junto seu ex-melhor amigo, Asher Beal. Tendo todo o plano traçado em sua mente, o protagonista decide que, antes de cometer seu homicídio-suicídio, presenteará aquelas pessoas que tornaram seus dias deprimentes um pouco mais toleráveis, pois realmente se importa com elas (isso, é claro, exclui "Linda", sua mãe. Ela sempre foi alheia ao fator "filho", deixando-o sempre em escanteio).

Começa então indo até a casa de seu vizinho Walt, amante dos filmes de Bogart (uma atividade que se tornou crucial na vida de Peacock e que é compartilhada de forma prazerosa com o velho amigo). Em seguida, já na escola, visita Baback, um garoto iraniano que praticamente todos os dias passa seu horário de almoço tocando violino no auditório (ouvi-lo tocar também se tornou uma atividade necessária no dia de Peacock: simplesmente sentar-se no fundo da sala, fechar os olhos e espairecer a cada nota). Prossegue então para Herr Silverman, seu professor favorito (e que está falando sobre o Holocausto ultimamente), e finaliza sua lista indo ao metrô, onde com muita certeza encontrará Lauren, uma menina loira bonita (e cristã!) que ele demonstra interesse. A partir daí, sua rota autodestrutiva começa... e talvez acabe com um assassinato e um suicídio à beira de um afluente.

"Minha teoria é a da que perdemos a capacidade de ser feliz à medida que envelhecemos." - pág 53


Sendo o primeiro livro lido por mim do autor Matthew Quick, "Perdão, Leonard Peacock" foi uma leitura altamente prazerosa e reflexiva. O linguajar de fácil compreensão associado ao tema abordado e ao pequeno toque de ironia fez com que o enredo torne-se algo espetacular e até mesmo filosófico. O autor expõe o protagonista de uma forma tão universal que acabamos, de uma forma ou de outra, entrando na pele do indivíduo. Fica evidente então que se torna impossível (ou quase) parar de seguir Leonard. Para quem já leu As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky, perceberá que há uma algumas grandes semelhanças entre os personagens principais. 

O livro aborda diversos temas, tais como sexo, violência, insanidade mental, homossexualidade, entre outros, mas fica evidente em todo o enredo que uma das mensagens principais passadas é: as suas ações interferem, direta ou indiretamente, na vida do próximo. É, de certo, uma espécie de tapa na cara de todos os leitores. Matthew nos faz enxergar que devemos, às vezes, deixar de lado o espírito egocentrista cada vez mais presente na sociedade moderna e buscar, independente da forma, ajudar ao próximo. Nunca se sabe por qual problema o outro pode estar passando, e apenas uma frase, apenas uma, poderá mudar todo o rumo desse ser. Também destaca e critica a rotulação exercida e imposta aos diferentes, que acabam sofrendo bullying e discriminação por não seguirem o padrão determinado.

Se você é daqueles que gosta de uma conclusão bem trabalhada, não vá com muita sede ao pote. Algumas pontas ficaram soltas, o que me deixou frustrado a depressão de Leonard passou pra mim e ao mesmo tempo satisfeito. Como já dito anteriormente, esse é um exemplo de livro que te faz refletir; já seria de se esperar que um final mais abrangente fosse abordado. 


Nota sobre o exemplar: como todas as edições da Editora Intrínseca, o exemplar é perfeito. Bem trabalhado de capa à contra-capa, o livro possui uma excelente diagramação, com tamanho de letra e fonte agradáveis e páginas amareladas. O livro conta também com algumas notas de Leonard, que são marcadas descritas no rodapé da página, deixando o livro mais descontraído.

Enfim, pessoal. Esse foi mais um daqueles livros excelentes e que eu praticamente engoli! Gostaria de conversar um pouco com vocês, vamos debater um pouco? Comenta aí o que você achou do livro!

Até mais,

21 comentários:

  1. Oi Sérgio!!! To com ele na estante e agora me deixou mais curioso para lê-lo. Li OLBDV e adorei e espero assim tbm curtir esse. Abs!

    ResponderExcluir
  2. Sérgio, também gostamos muito desse livro, mas, ao contrário do que você disse, não vimos muita semelhança com o Charlie de As Vantagens de Ser Invisível. Acho o Leonardo um pouco mais ''fechado'', enquanto o Charlie é mais tímido. Enfim, parabéns pela resenha, também fizemos uma na Armada. Abraços ;)
    http://www.armadaescrita.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Uma amiga leu tambem e adorou. Tem ate resenha no blog. Eu gostei dos quotes q ela mandou e ja fiquei com vontade de ler :3

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sérgio!!!
    Como você já sabe, eu li o livro e adoreii. A escrita do Mattew é simples, e não nos deixa largar o livro, principalmente para saber o motivo do Leornard querer se matar!
    Adorei a resenha!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Olá Sérgio, não conhecia o livro mas gostei muito da história e fiquei bem curioso sobre a opinião que eu teria se o lesse. Bom, fiquei com muita vontade de ler e já coloquei-o em minha lista.
    Abraços, Carlos.

    http://blogchuvadeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Sérgio, tudo bom?!
    Tenho aqui o outro do autor OLBDV, ainda não li ele, mas parece ser ótimo como este aí.
    Um primo leu e falou que é ótimo, fiquei curioso sobre a história.
    Sua resenha ta ótima, fiquei mais curioso ainda kkkkk.

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  7. A sinopse não faz muito meu gênero , sua resenha foi bem objetiva , quem sabe coloco em minha lista de leitura.

    abraços

    Joyce

    ResponderExcluir
  8. Esse livro definitivamente não me atrai.
    Seu só vi resenhas positivas sobre a obra, assim como a sua. Mas ninguém me convenceu a comprá-lo hahaha
    Provavelmente porque eu odiei O lado bom da Vida =S

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  9. Oie,

    Eu quero muito ler esse livro, desde quando o autor veio para a Bienal ano passado, fiquei louca por ele, e agora lendo a resenha fiquei ainda mais encantada com o livro, ele me lembrou muitoa alguns filmes americanos, não sei porque, mas gostei muito.

    Mayla
    http://meulivromeutudo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Tenho muita vontade de ler esse livro desde que o vi em um vídeo do canal Minha Estante. A proposta do livro é ótima e a história parece ser muito boa. Já li O Lado Bom da Vida, também do Matthew Quick, e adorei a escrita dele. Não vejo a hora de poder ler este. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Sérgio.
    Sabe que já vi esse livro por aí várias vezes, mas nenhuma resenha conseguiu me mostrar a verdadeira proposta do livro, mas agora compreendi e me interessei.
    Gostei das reflexões que o livro desperta, eu não imaginava que ele tinha um enredo tão profundo. Com certeza mais uma leitura a ser feita.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  12. Que bom que achou o livro excelente!! Nunca li nada do autor, mas tive a oportunidade de conhecê-lo na bienal do ano passado e ele é mega simpático! Depois da sua resenha, acho que vou começar por esse livro, adoro livros que fazem com a gente entre na pele da personagem. Sobre a questão de ter alguma semelhança com As Vantagens de Ser Invisível, essa foi a única parte que me deixou com um pouco de receio, porque odiei as atitudes de algumas das personagens principais do livro. Mas essa questão de focar na ajuda ao próximo com certeza me fará passar por cima desse receio.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  13. Oi Sérgio, tudo bem?
    Achei esse enredo muito pesado. Por isso, acho que não o leria. Independentemente disso, parece ser uma história bem escrita, não conheço o trabalho do autor ainda, mas as pessoas geralmente elogiam. Que bom que gostou tanto da leitura.
    Beijinhos.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Trauma define minha relação com esse livro. Passei 1 hora na fila da bienal do ano passado só pra comprar e levar pro Matthew Quik autografar. Só na hora de ser chamada pra encontrá-lo é que a editora disse que só podia levar 1 livro, e eu escolhi O Lado Bom da Vida. Ele tá lá paradinho na estante me esperando ter boa vontade. rs! Mas depois dessa resenha vou tentar me animar logo pra superar o trauma. hehe
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  15. Oi Sérgio,

    Não conhecia o livro mas achei a história muito interessante, fiquei curiosa para saber o que aconteceu com o suicídio-homicídio! :(
    Realmente, a sociedade é cruel e sempre vai procurar formas de marginalizar aqueles que não se enquadram em seus padrões, não é de hoje. Sofri muito bullying na escola e foi assim até terminar o segundo grau, minha libertação foi quando entrei na universidade, foi quando percebi que ali era meu lugar.

    Beijos,

    --
    Priscila Yume
    http://yumeeoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá, sabia que esse livro era especial, pois estou lendo O lado bom da vida e
    simplesmente estou amando, mas não sabia que se tratava de um livro mais intenso,
    pelo que percebi de sua resenha. Como estou amando a escrita do autor é muito certo
    que irei amar esse livro. Os quotes são muito bons,
    bjs

    http://www.loveebookss.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oieee, eu tenho muita vontade de ler este livro, principalmente por causa dos quotes do livro que eu sempre vejo espalhado pelas redes sociais rsrs, nunca li nada do autor e tenho vontade de conhecer sua escrita. A capa não chama muito a atenção, mas é bem simples e bonita rs, Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Sérgio, gostei bastante da resenha, fiquei numa onde de "leio ou não?" porém agora não é a hora, tenho muitos livros aqui. Já li O Lado Bom da Vida do mesmo autor, espero que quando leia esse livro também seja uma leitura prazerosa.

    ResponderExcluir
  19. Oi Sergio!
    Gostei da sua resenha e gostei bastante da premissa que o autor nos propõe. Eu falaria que iria correndo comprar e ler, mas não sei e vou, até pq não tenho muito tempo. Já estou com um começado e outros esperando. mas excelente resenha!


    beijos!
    www.cinefilandobr.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Desse escritor eu só li O Lado Bom da Vida e gostei da história, apesar de não ter se tornado o meu favorito.
    Já vi esse livro nas redes sociais, mas mesmo assim não me interessei pela leitura.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Olá Sérgio!
    Querido! Eu gosto muito dos livros da editora, acho eles esteticamente bem bonitos! Gostei da resenha, gosto de livros que trazem reflexões, sem preconceitos, leio todos os estilos!
    Só fiquei com o pé atrás com o desfecho que falou que deixou pontas soltas, isso eu não suporto! Então ainda não sei se leria ou não!
    Grande beijo!
    Paulinha Juliana - Overdose Literária
    http://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!