Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
8

Resenha #8: Como Falar Com Um Viúvo - Jonathan Tropper

Como Falar Com Um ViúvoLido em: Abril de 2014
Título Original: How to Talk to a Widower
Título (BR): Como Falar Com Um Viúvo
Autor: Jonathan Tropper
Editora: Sextante
ISBN: 9788599296622
Gênero: Romance
Ano: 2010
Páginas: 272
Avaliação


Sinopse: Doug Parker não foi um aluno brilhante, não conseguiu entrar para nenhuma universidade de prestígio e era demitido dos empregos de redator com relativa frequência. Enfim, não levava nada muito a sério até conhecer Hailey, bonita, inteligente e cerca de 10 anos mais velha que ele. Quando os dois se casam, Doug deixa para trás a descompromissada vida de solteiro e se dedica a esse amor, acreditando finalmente ter encontrado seu rumo. Mas, dois anos depois, Hailey morre em um acidente de avião e tudo perde o sentido. Tentando lidar com o luto, Doug passa a escrever uma coluna chamada "Como falar com um viúvo", em que desabafa sua dor, relata a dificuldade de expressar seus sentimentos e se lembra da esposa de maneira sincera e cativante. A coluna se torna um grande sucesso - algo com que ele sempre sonhou - só que, infelizmente, no momento errado. Em meio a seu drama, Doug se vê às voltas com o enteado rebelde e a irmã gêmea que se mudou para sua casa decidida a fazê-lo voltar a se relacionar com outras mulheres. E então nada mais é como antes: sua vida passa a se desenrolar em uma divertida sucessão de encontros desventurados e insólitas confusões familiares. Entre tropeços, atropelos e as mais loucas situações, Doug começa a tocar sua vida, ainda que não saiba muito bem para onde. Afinal, muitas vezes o melhor a fazer é seguir em frente. 

Resenha

Este é mais um daqueles livros que acabei comprando pela sinopse e pelo preço convidativo. Devo admitir que foi uma surpresa boa e agradável.

Do enredo: Doug Parker é um jovem de 29 anos que encontra-se totalmente arrasado. Motivo: há pouco mais de um ano sua mulher, Hailey, veio a falecer em um desastre aéreo. Depressivo, que outrora tentou se matar tomando uma alta dosagem de medicamentos, Doug está com muito mais problemas do que imaginara. Seu pai, que demonstrava pouquíssimo afeto por ele durante a infância, agora sofre de problemas mentais causados por um AVC. Para suportar essas mudanças temperamentais do marido, sua mãe (que quase se tornou uma grande atriz) toma diariamente comprimidos relaxantes e vive sempre com uma taça de bebida na mão. Seu enteado, Russel, não consegue lidar com a perda da mãe e desde então tem se metido constantemente em confusões. Para completar a loucura familiar, sua irmã Debbie, (que conheceu o marido no shivá de Hailey) irá se casar e a gêmea dele, Claire (dona de uma personalidade cativante e que sempre consegue o que quer), está grávida e prestes a se divorciar. Sim, ela acaba se mudando para a casa de Doug.

Definitivamente, o protagonista não leva uma vida nada saudável, beirando o autodestrutivo. Logo ao acordar, acaba sentado em sua varanda, bebendo Jack Daniel's, na tentativa frustrada de afogar a solidão, além de ficar jogando coisas nos coelhos que invadem seu quintal. Como já foi dito na sinopse, o Doug nunca foi uma pessoa exemplar e dedicada. Após ser demitido diversas vezes de seus empregos, acabou conseguindo ser colunista de uma revista, onde passou a escrever sobre como se sentia em seu luto. Com isso, adquiriu algo que sempre almejou: visibilidade. Porém, como vocês podem notar, ela veio em hora equivocada. Durante o decorrer da estória, vários encontros são programados por Claire para que seu irmão tente sair do seu estado e siga em frente. 

Em todo o livro, está presente abundantemente o uso de comparações. Não vou dar spoilers, mas uma das coisas que mais gostei foi a revira-volta dos últimos capítulos, além do fim que fica "em aberto", dando diversas possibilidades de imaginar o desfecho da trama. Apesar de possuir um título que pareça de "autoajuda", Como falar com um viúvo é um livro que trata de maneira cômica os fatos trágicos da vida, acrescentando uma pitada de "pimenta" e sarcasmo. 

Do exemplar: A capa é simplesmente sensacional. Sim, é muito simples, mas é também altamente criativa e convidativa. As folhas são amareladas, o que ajuda muito na hora da leitura, dando mais conforto. A fonte é normal e a diagramação muito bem aplicada. Se não estou enganado, adquiri meu exemplar por apenas R$4,95 em uma das promoções relâmpago do Submarino. Assim como Ratos, o preço pago foi realmente MUITO abaixo do que o livro merece. Uma ótima aquisição literária!

Sobre o autor: Jonathan Tropper é autor de Plano B, Sete Dias Sem Fim, Everything Changes, The Book of Joe e This Is Where I Leave You. Ele é casado e mora com a esposa, Elizabeth, e os filhos em Westchester, Nova York. 

Os direitos de adaptação de Como falar com um viúvo para o cinema estão sendo negociados com a Paramount Pictures.

Quotes:


"Ele levanta o cabelo, revelando um rabisco em forma de girino que se alonga pela curva do pescoço, cercado por chamas cor de laranja como numa história em quadrinhos. Sei que isso não devia me entristecer, sei que hoje em dia as tatuagens constituem apenas mais um acessório, como anéis de dedão e pulseiras como algemas nos pulsos. Atrizes ganhadoras de Oscar mandam tatuar textos budistas nas costas. Todas as garotas que usam jeans de cintura baixa têm um desenho floral ou uma borboleta pairando acima do rego. Ainda assim, a ideia de algo tão permanente nesse garoto triste e revoltado de 16 anos me dá um nó na garganta. Isso e a certeza de que a tatuagem deixaria Hailey bastante magoada. Hailey, que ficou praticamente inconsolável quando Russ raspou pela primeira vez a penugem do seu bigodinho. De todo jeito, ele não vai poder voltar atrás, e não há nada a fazer senão apoiá-lo.
- Legal – comento sem entusiasmo.
- Você sabe o que é? – me desafia Russ
- Um espermatozóide em chamas?
- Vá se foder.
- Um meteoro.
- É um cometa – explica ele.
- Qual é a diferença?
- Como é que eu vou saber?
- Certo. é um cometa.
Ele acaricia a tatuagem como quem protege algo.
- É o cometa Hailey.
As lágrimas me enchem tão rápido os olhos que não tenho como contê-las.
- Sei que o nome verdadeiro não escreve assim – diz Russ, repentinamente acanhado. – Mas eu gostei da imagem, sabe? O cometa Hailey. E ela vivia na minha cola por causa dos meus erros de ortografia. De certa forma, faz sentido." - pág 29

"Existem coisas que jamais devem ser ditas em voz alta, nem para nós mesmos, pecados mentais que podemos apenas arquivar, na esperança de nos redimirmos numa data futura." - pág 154


Minha edição:




Enfim pessoal, é isso! Espero que vocês, caso tenham este livro na estante, comecem a ler logo. Aos que ainda não possuem, dou uma dica: adquiram! É realmente cômico e divertido. Uma boa leitura para vocês.

8 comentários:

  1. Heeei, adorei seu blog, parabéns *---*Ótima resenha, não conhecia o livro, mas achei super interessante. beijos, Fe - Segredos em livros

    ResponderExcluir
  2. Nossa, após ler essa resenha, despertou em mim a vontade de ler este livro! *-* Adicionado na lista! :c

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Cayo. E em relação ao livro, leia-o, assim que possível.

      Obrigado pela visita.

      Excluir
  3. Olá!

    Eu li Sete Dias Sem Fim do mesmo autor e super recomendo, já estou com meu exemplar de Como Falar com um Viúvo e este será a minha próxima leitura. Estou ansioso pela leitura. Ótima resenha!

    Victor Marcos,
    Encantos Paralelos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi falar de Sete Dias Sem Fim, mas ainda não busquei por preços (embora eu tenha interesse). Espero que você goste de Como Falar Com um Viúvo da mesma forma que eu gostei!

      Obrigado pela visita, Victor. Você é sempre bem vindo por aqui ;)

      Excluir
  4. Oi Sergio,
    O Livro me deixou interessado, numa próxima promoção quero comprar ele...
    Adicionado a minha lista...
    Gostei da sua resenha Sergio, bem detalhada e explicada, vou passar a comentar em todas.

    Abraços, Lê.
    #O Báu dos Melhores#

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! Apareça mais vezes por aqui, rapaz ;)

      Excluir
  5. Oi Sérgio,
    Nossa, esse livro parece ser incrível. E sua resenha ficou ótima, parabéns!!

    Abraços.
    http://entreserieselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!